Pular para o conteúdo principal

Da minha aversão à esquerda

Paulo, por que tanta raiva do Lula, da Dilma, do PT e das suas linhas auxiliares, como PSOL, PCdoB e as outras bostas?

Simples: essa gente promove a inveja, o ódio, o ressentimento, a divisão, enquanto se diz com direito sobre o que outros produziram ou possuem; tem como método a mentira, a desonestidade, a dissimulação, o encobrimento, a distorção; age subliminarmente, doutrinando mentes inocentes, cooptando corações, em busca de colocar em prática seus planos de dominação e poder; idolatra assassinos, adora ditadores, genocidas, racistas e toda uma dinastia de falsos líderes, que se impuseram pela força ou pelos mesmos métodos de corrosão da verdade que aplicaram tanto tempo por aqui; desprezam e não admitem o contrário, se pudessem exterminariam toda e qualquer voz dissonante; se dizem "protetores" dos pobres e no entanto, são abomináveis aproveitadores, que praticam o assistencialismo, penalizando quem tenta deixar a pobreza; querem dizer aos outros o que é melhor para estes, mas, seguem na direção de ter e fazer exatamente o que criticam; almejam cargos e posições de poder, e, principalmente, os benefícios deles decorrentes; transformaram o estamento burocrático estatal no maior balcão de negócios da história mundial, adotando a corrupção e a roubalheira como meio para se locupletarem, enriquecerem e desfrutar tudo que o sistema que combatem pode oferecer; enfim, por defenderem algo que só trouxe desgraça para a humanidade, que é responsável pelas maiores matanças da história, que criou fanáticos, desde os simples retardados, aos grandes canalhas e psicopatas, e que condenou e cassou o futuro de milhões, com seus falsos projetos, suas falácias teóricas e práticas, sua gigantesca incompetência e incapacidade. Só por (tudo) isso. Tá bom?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

História do Filho da Puta

John Frederick Herring (1795 - 1865) foi um conhecido pintor de cenas esportivas e equinas, na Inglaterra. Em 1836, o autor do famoso quadro "Pharaoh's Charriot Horses", avaliado em mais de $500.000, acrescentou "SR" (Senior) à assinatura que apunha em seus quadros por causa da crescente fama de seu filho, então adolescente, que se notabilizou nessa mesma área. Apesar de nunca ter alcançado um valor tão elevado, um outro de seus quadros tem uma história bastante pitoresca.

Em 1815, com apenas 20 anos, Herring, o pai, como era tradição, imortalizou em um quadro a óleo o cavalo ganhador do St Leger Stakes, em Doncaster, na Inglaterra. Até aí, nada de mais. A grande surpresa é o nome do animal: Filho da Puta! É isso mesmo. Filho da puta.

Há pelo menos três versões sobre a origem desse estranho nome. A que parece mais plausível (e também a mais curiosa), dá conta que o embaixador português na Inglaterra, à época, era apaixonado por turfe e também por uma viúva com qu…

E agora? Cheguei aos 40!

Quarenta anos! Como o tempo passou! É difícil acreditar. Você tenta não pensar no assunto, mas está lá, na sua carteira de identidade, na certidão de nascimento, a conta é simples, não tem como errar.

Quando menino, sempre ouvi falar "a vida começa aos quarenta". Mas, que vida? Quer dizer que até lá, nada vai acontecer? Ou será que este é pra ser considerado apenas um período de preparação para a felicidade que virá, uma etapa preliminar, que nem precisava ter acontecido, já que o jogo de verdade só agora vai começar?

Há muito gente ansiosa para lhe dizer que 40 é uma idade maravilhosa, todos com mais do que isso. Ninguém menciona que é por volta dos 40 que o seu fôlego para os esportes diminui; a recuperação de uma noite de farra leva mais de um dia; a disposição para o sexo não é mais a mesma; a paciência com os filhos acaba antes de começar; a música alta já não tem aquele efeito estimulante; os cabelos, se ainda estão na cabeça, começam a pratear; sair à noite pra janta…

Das drogas à loucura; Foucault inspira o "politicamente correto"

por Voltaire Schilling



originalmente publicado no Terra 

Michel Foucault foi um dos principais mentores da Revolução Cultural

De certo modo, tudo o que nos cerca hoje é subproduto da Revolução Cultural dos anos 1970, década de onde emergiu o "politicamente correto" e praticamente todas as políticas públicas que marcam a gestão social no Ocidente.

Um dos seus principais mentores ideológicos foi o filósofo francês Michel Foucault (1926-1984) que fundiu numa extravagante doutrina inspirada no anarquismo com as concepções de Nietzsche.

Instituições: espaços de opressão 
Para Foucault, as instituições que nos governam ou que nos assistem, sejam as dedicadas à saúde pública (hospitais, manicômios ou asilos), ao sistema prisional (casas de correção, reformatórios, presídios e cadeias), na recuperação de viciados (clinicas especializadas, ambulatórios de desintoxicação, etc.), ou voltadas para a educação (orfanatórios, seminários, escolas, universidades, centros técnicos, etc.) nada mais …